Leituras do Sumpa

Aquela vez que Bruce Banner ligou pro CVV

Peter David mostra que Bruce Banner enfrenta outro tipo de monstro:

The Incredible Hulk – The Last Call é uma história incômoda e polêmica sobre abuso emocional, perda, suícidio, culpa de sobrevivente e a necessidade de valorização da vida.

Em 2019, quando completou 80 anos, a Marvel decidiu reunir criadores que produziram fases marcantes em alguns de seus títulos.

Foi o caso de Peter David, Dale Keow e Mark Farmer, responsáveis pela fase que culminou no surgimento daquele que viria a ser chamado de Professor Hulk.  Na verdade, a história é situada num momento mais adiante, um pouco depois da morte de Betty Ross, que aconteceu na edição 466 do verdão.

A morte de Betty e o vazio no peito de Banner:

E David sabia exatamente o tipo de história que queria contar.  Ele queria dar um soco no estômago do leitor.

No especial, Banner liga para uma espécie de CVV onde Betty trabalhou por um tempo e conversa com Verônica, a atendente de plantão.  Verônica conheceu Betty e tenta ajudar o cientista a lidar com a perda de sua esposa.  Banner está se sentindo tão miserável que contratou um Sniper pra dar cabo da sua vida, algo que ele nunca conseguiria sozinho.

Sim, Betty e Verônica… uma piada. David sempre foi bom em inserir um pouco de humor, mesmo em suas histórias mais sérias.

 O mais interessante é que história nos mostra o retorno da Harpia, uma monstruosidade que Betty virou nos anos 70 e do Senhor Hyde. Como nada é de graça, os dois servem para mostrar outros tipos de abuso psicológico e a culpa de sobrevivente de Bruce.

Se você só assistiu os filmes do MCU ou chegou após os anos 2000, David escreveu o Hulk entre 1986 e 1998 foi um dos responsáveis por trabalhar o transtorno de personalidade esquizoide do Banner e mostrar diferentes Hulks, que na verdade, eram manifestações físicas de sua esquizofrenia.

Sim, Bruce Banner tem problemas mentais sérios e pode não parecer, mas a depressão é um deles.

Não sei se você sabe, mas Robert Bruce Banner também é um suicida. Isso foi mostrado em mais de uma situação. Numa página dessa edição, ele confessa que tentou tirar a própria vida, mas o Hulk não deixou.

Segundo ele, o monstro não é uma representação da sua raiva, mas de sua vontade de viver.

Last Call é uma história sobre depressão:

Last Call nos mostra exatamente isso. Ele acabou de perder a Betty e quer um motivo pra viver que não seja o simples fato de o Hulk não querer morrer.

Sim, ele acabou de perder um ente querido, mas a depressão é uma doença sacana que só precisa de um gatilho pra te ferrar. Ela aproveita a brecha para criar um vazio e te dominar destruindo todas as suas certezas.

 Quando você percebe, o vazio virou a cratera na qual você se afunda.

Pode não parecer, mas pra muitos de nós, uma ligação para um estranho, uma conversa com um amigo e até um abraço podem ser a diferença entre a vida e a morte.

Banner decidiu viver mais um dia. Faça o mesmo todos os dias da sua vida.

Procure ajude. Por mais que o mundo tenha muitos imbecís, sempre haverá boas pessoas, pessoas prontas para lhe estender a mão. Se não tiver, procure um analista, psicólogo ou psiquiatra.

 Estar num momento ruim não é vergonha.

A vida de Banner tem sido uma luta diária a mais de 50 anos. Alguns dias são melhores, outros piores, mas a vida continua vencendo.

 E a sua?

Se precisar, disque 188 ou acesse https://www.cvv.org.br/

Alexandre D´Assumpção

Segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias, Alexandre D’assumpção, ou The Sumpa, é praticamente inofensivo. Apesar de todas as lendas a seu respeito, ele é apenas um professor Nerd, redator, roteirista de quadrinhos e audiovisual que nos anos 80 pediu carona para uma cabine azul e desde então, tem vivido suas aventuras através do espaço/tempo. Para facilitar a viagem, tornou-se mestre Zen na arte de ter um rosto tão comum que todos sempre o cumprimentam imaginando se tratar de outra pessoa; normalmente ele mesmo. Dono de uma péssima memória, ele nunca se lembra de detalhes importantes como rostos, grupos que passou nem dos inimigos que ameaçam sua vida, o que é péssimo quando ele os encontra em becos escuros. Sua toalha é customizada e ostenta a máscara da Iniciativa Gambate, empresa criada por ele para levar a cultura Pop a todos aqueles que dela precisarem, estejam onde estiverem. De tempos em tempos ele reverte a polaridade de sua chave de fenda sônica e leva algum compannion para passeios transmídia, seja em eventos, festivais ou programas de TV. No caso de um avistamento, principalmente se The Sumpa for a personalidade dominante, espere o inesperado e corra para sobreviver.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo