Quinta série

Rick and Morthy 5×09 e 5×10 (2021)

O famoso episódio de uma hora chegou.

Na verdade, não foi só um, mas dois episódios interconectados. São eles: “Forgetting Sarick Mortshall” e “Rickmurai Jack”.

O ponto é que os dois episódios partem da premissa de que Rick, de saco cheio do Morthy, trocou o neto por dois corvos e os dois sofreram as consequências dessas escolhas.

E essa confusão começa com “Forgetting Sarick Mortshall”, onde vemos a briga e a separação dos dois. Rick segue em aventuras com os seus corvos e Morthy, acompanhado por um doidão que assim como ele, tem um portal numa parte de seu corpo.

Ah, claro… Como o garoto estava usando a arma de portais para corrigir os erros que seu avô deixa em suas aventuras, ele tentou usar refrigerante de limão para encher a arma de portais e derramou acidentalmente o fluido em sua mão, criando um microportal.

Como o doidão tinha um portal na perna e os dois portais reagiam um ao outro, eles se juntam e formam a dupla: “Os caras do portal.

Sinceramente? O episódio é bom e serve para algo que você deixa passar até assistir o último da temporada.

É interessante ver o quanto o episódio levanta questionamentos pertinentes.

Os corvos foram uma piada de Rick. Ele queria mostrar que como Morthy era menos que nada, podia ser substituído por qualquer porcaria e não faria falta. No final das contas, o rompimento realmente aconteceu e Rick, que admitiu ser extremamente abusivo com o neto, foi viver aventuras com seus dois corvos.

“Rickmurai Jack” é uma piada óbvia, Não só com a série Samurai Jack como com os animes que a inspiraram. Na verdade, o episódio até ganhou uma abertura especial que seguindo a ideia do final do episódio anterior, rebatizou a série como Rick com dois corvos.

Na verdade, o season finale são dois episódios em um, dois episódios que avançam bastante na trama central da série. Alias, o vilão do último episódio faz uma piada com relação a essa estrutura, chegando a alegar que é uma forma dos Rick Sanchez fugirem da verdade e das consequências dos seus atos.

A primeira parte do episódio é praticamente um anime onde Rick e seus corvos vivem aventuras futuristas. É uma mistura de Samurai, Jack, O Homem sem nome do Clint Eastwood e boa parte dos clichês de samurai conhecidos.

É interessante ver os personagens antropomorfos e o inimigo espantalho do Rick. Alias, é interessante ver o “Rick dos Ricks” levar um pé na bunda de seus novos auxiliares.

No fim, praticamente tudo volta ao normal, menos Morthy, que para convencer Rick de que a vida de sua família só piora na ausência do avô, envelheceu artificialmente e virou um quarentão.

Bora pra Cidadela dos Ricks descobrir… a verdade?

Não vamos te contar as revelações, basta dizer que é o episódio do Morthy Maligno dessa temporada.

Lembra que comentei lá em cima sobre os dois episódios mostrarem que diferente do avô, Morthy está desenvolvendo seu lado altruísta e… bondoso? Isso é importante para a conclusão da temporada.

No momento que todos descobrimos a verdade sobre o Rick C-137 e o Morthy Maligno afirma que todos os Morthys que descobrem esse segredo se tornam malignos, o nosso mostra que nem todos seguem este caminho.

Nesse momento, a ficha cai e entendemos sobre o que foi essa temporada. O neto de Rick foi testado, tentado e acabou fazendo a escolha “certa”.

Outro ponto importante é que como essa temporada finalmente nos mostrou a verdade, o estado psicológico do Rick praticamente foi esfregado na nossa cara. Ele tinha motivos pra estar meio Schmaltz em alguns momentos dessa temporada e se conter em momentos que mostraria todo o seu esplendor.

Quem perde aprende a dar valor ao que tinha.

E o fim dessa temporada foi cheio de perdas. O Morthy Maligno venceu.

Ele finalmente conseguiu o que queria, mas Rick e Morthy ainda estão vivos e só precisam de um tempo para lamber as feridas.

Pra quebrar o clima amargo, a série nos mostra o Senhor Bunda Cagada, que faz umas piadas sobre o estado que sua vida se encontra.

Não dá pra dizer que foi um bom final. A série lança temporadas de forma irregular e a trama do Morthy Malvado só aparece nas ímpares. Na verdade, quase tudo que é canônico aparece nas ímpares.

Esperar duas temporadas pra ver o que vai acontecer é uma tortura, mas é o que tem pra hoje.

Nos vemos por aí.

Alexandre D´Assumpção

Segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias, Alexandre D’assumpção, ou The Sumpa, é praticamente inofensivo. Apesar de todas as lendas a seu respeito, ele é apenas um professor Nerd, redator, roteirista de quadrinhos e audiovisual que nos anos 80 pediu carona para uma cabine azul e desde então, tem vivido suas aventuras através do espaço/tempo. Para facilitar a viagem, tornou-se mestre Zen na arte de ter um rosto tão comum que todos sempre o cumprimentam imaginando se tratar de outra pessoa; normalmente ele mesmo. Dono de uma péssima memória, ele nunca se lembra de detalhes importantes como rostos, grupos que passou nem dos inimigos que ameaçam sua vida, o que é péssimo quando ele os encontra em becos escuros. Sua toalha é customizada e ostenta a máscara da Iniciativa Gambate, empresa criada por ele para levar a cultura Pop a todos aqueles que dela precisarem, estejam onde estiverem. De tempos em tempos ele reverte a polaridade de sua chave de fenda sônica e leva algum compannion para passeios transmídia, seja em eventos, festivais ou programas de TV. No caso de um avistamento, principalmente se The Sumpa for a personalidade dominante, espere o inesperado e corra para sobreviver.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo