Coluna F3

Os Melhores do mundo numa de suas melhores coleções

Esse será um texto meio solto, um pequeno passeio pelo passado desse saudosista colecionador. A Panini está lançando duas coleções para deixar qualquer DCnauta extremamente feliz, A Saga do Batman e A Saga do Superman, republicando de forma cronológica muito do que foi lançado no pós-crise com os dois maiores heróis da DC. Histórias que foram publicadas anteriormente pela editora Abril no fim dos anos 80 e no começo dos anos 90, material de ótima qualidade, que deve ser inédito para muitos fãs dos personagens. Cada uma das coleções será composta por doze edições, formato americano, capa cartonada, papel off set, com mais de 160 páginas de quadrinhos.

Eu sou um leitor das antigas, claro que há muitos que cultivam esse mesmo hábito há mais tempo, mas com mais de três décadas acompanhando diversas mudanças algo que nunca imaginei ao começar a ser um quadrinhólatra é ver os gibis serem respeitados e cultuados, que conquistariam outras mídias, que estampariam o vestuário de pessoas variadas e, que estariam na discussão de quem nunca se imaginou folheando uma revista. Outra coisa que nunca sonhei foi ver as histórias que li no formatinho serem republicadas em infinitas edições e coleções com acabamentos bem diversificados.

Percebemos que estamos mais experientes ao se valer da expressão no meu tempo, isso é gozado pois é o que vou escrever, no meu tempo de formatinho, ainda começando a ler minhas primeiras revistas da DC, as minhas primeiras incursões foram nas revistas de linha da DC. Lia com muita dificuldade, mas com um sorriso enorme, as revistas Novos Titãs, Super-Homem, Superamigos e Batman. Adorava aquela pequena árvore desenhada no logo da editora Abril. Acompanhei quase de forma completa, não tinha capacidade monetária para tudo, as revistas do Batman e do Super-Homem.

Diferente de muitos leitores eu dei muita sorte, comecei a minha vida de colecionador lendo a origem do Super-Homem, da Mulher-Maravilha, do Batman, o surgimento de uma nova e engraçada Liga da Justiça, enfim, como navegante de primeira viagem vi as histórias sem muitos tropeços, estava presenciando um reboot, anos antes de saber o que significava o termo. A DC também deve adorar esse conceito de lá para cá eles recomeçaram muitas vezes o seu universo. Passei a ler após os eventos da Crise nas Infinitas Terras, para quem não sabe esse foi um megaevento em doze edições que envolveu todo o universo de personagens da editora DC Comics, o que levou ao reinício de muitas séries, muita coisa sendo iniciada para facilitar o entendimento das tramas e da cronologia para os leitores mais recentes como os mais velhos.

Para quem está na dúvida sobre colecionar essas edições eu tenho de dizer que sim, você DEVE colecionar, é quase uma obrigação moral ao menos conhecer o início da espetacular fase de John Byrne à frente do Superman, seu homem de aço é bem diferente do anterior, ele é mais ligado ao nosso planeta, é mais humano do que kryptoniano. Possui pais adotivos que o amam, que ainda servem como bússola moral. Os seus poderes foram diminuídos, antes da Crise ele tinha poderes ainda mais descomunais, era quase um deus. Lois Lane é mais assertiva, mais forte, não é mais uma donzela em perigo. Lex Luthor por sua vez aparece ainda mais assustador, em vez de um cientista louco é um empresário de sucesso, rico, poderoso, sem escrúpulos, todavia continua odiando o último filho de Krypton.

Na coleção do Batman veremos algumas histórias inéditas, pode ser estranho para os colecionadores atuais, mas a revista do homem-morcego por muito tempo foi evitada dentro da redação da editora Abril. Após o fracasso em emplacar duas séries em formatinho, a editora foi corajosa e lançou uma série em formato americano, que infelizmente não alcançou o seu trigésimo número fazendo com que o morcegão aparecesse apenas em edições especiais por um bom tempo. A coleção é válida mesmo que muita coisa boa já tenha sido republicada, algumas em edições especiais de luxo como o caso de As Várias Mortes de BatmanAs Dez Noites da Besta Morte em Família. Outras apareceram na coleção Lendas do Cavaleiro das Trevas além de Lendas do Batman ou alguma outra coleção da editora Eaglemoss. Infelizmente a saga Batman: Ano Dois que foi lançada pela Panini a pouco tempo ficará de fora dessa coleção.

Assim sendo, quero deixar expresso o meu apreço a editora Panini, nos últimos anos ela vem apostando alto nas republicações, trouxe o início da saga da amazona pelas mãos do mestre Pérez, assim como o seu trabalho a frente dos Novos Titãs, sem falar na chamada liguinha e em obras de sua majestade Jack Kirby, estou esperando por Kamandi. Enfim, só posso agradecer por poder ler isso tudo num formato maior, com texto integral, respeitando na medida do possível a cronologia e o leitor. Claro que há erros, alguns problemas de revisão, mas que no todo não atrapalha muito essa (re)descoberta do que foi produzido pouco antes dos conturbados anos 90.   

Fernando Furtado

Fernando Furtado, formado em cinema pela FAAP, estudou quadrinhos na Quanta Academia de Artes, fez curso sobre a história das HQs com Sônia Bibe Lyuten, oficina de roteiro para HQs com Lourenço Mutarelli, assistente editorial e tradutor na Brainstore editora. Atualmente professor de inglês e advogado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo