Quinta série

O que aconteceria se… Ultron Vencesse?

O que aconteceria se…?

Ultron venceu, o Vigia levou uma surra e fugiu com o rabo entre as pernas… Arnin Zolla é a chave para a solução do problema?

Muitas perguntas e uma única certeza: Ultron venceu.

Não é uma história sobre viagem no tempo, mas a segunda vez que vemos o personagem é a primeira que ele nos vê. E esse é o começo do fim dá série.

Ultron sem amarras.

Ele é poderoso, genocida, cruel e lógico. Bem, ele é uma máquina, né? Seu cérebro positrônico só entende zeros e uns, o que explica sua decisão lógica de eliminar o caos humano para propagar a paz.

Um ser humano viraria monge, se trancaria no claustro e jogaria a chave fora. Ele é uma máquina e pode ficar lá até sua bateria finalmente acabar, mas não entende dualidade e vê isso como um câncer a ser extirpado.

Já reparou que é a desculpa perfeita para Disney criar um daqueles vilões cheios de boas intenções? Ele não é mau, só tem uma interpretação assassina do mundo.

E esse é o ponto de partida para o dia em que tudo deu errado.

Os heróis mais poderosos do mundo estão mortos e cabe aos frágeis Gavião Arqueiro e Viúva Negra a árdua tarefa de tentar desfazer a bagunça.

Se Hulk ou Thor não deram conta, quem são eles na fila do pão?

E isso nos leva a três pontos fixos em todos os episódios:

  • A série investe em heróis mais pé no chão. Normalmente, eles são parte da solução dos problemas;
  • Nos dois episódios em que aparece, a Capitã Marvel até que faz mais sentido do que em suas outras aparições no MCU, mas seguindo a primeira premissa, é óbvio que ela nunca seria a solução do problema. No episódio do Thor foi a mãe que resolveu o problema;
  • Thanos nem é isso tudo, né? Ele apareceu três vezes na animação. Na primeira, foi convencido a desistir de seus planos, na segunda, virou Zumbi e nessa, bem… Até que ponto ele é uma ameaça tão grande assim.

O mesmo pode ser dito da consciência do Arnin Zolla, a única AI não digital capaz de infectar a consciência de enxame do robô assassino.
Agora que o Vigia abandonou o Voyeurismo e decidiu lutar com as próprias mãos, tudo pode acontecer.
O que o fim nos reserva?

Agora que o Vigia abandonou o Voyeurismo e decidiu lutar com as próprias mãos, tudo pode acontecer.

Alexandre D´Assumpção

Segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias, Alexandre D’assumpção, ou The Sumpa, é praticamente inofensivo. Apesar de todas as lendas a seu respeito, ele é apenas um professor Nerd, redator, roteirista de quadrinhos e audiovisual que nos anos 80 pediu carona para uma cabine azul e desde então, tem vivido suas aventuras através do espaço/tempo. Para facilitar a viagem, tornou-se mestre Zen na arte de ter um rosto tão comum que todos sempre o cumprimentam imaginando se tratar de outra pessoa; normalmente ele mesmo. Dono de uma péssima memória, ele nunca se lembra de detalhes importantes como rostos, grupos que passou nem dos inimigos que ameaçam sua vida, o que é péssimo quando ele os encontra em becos escuros. Sua toalha é customizada e ostenta a máscara da Iniciativa Gambate, empresa criada por ele para levar a cultura Pop a todos aqueles que dela precisarem, estejam onde estiverem. De tempos em tempos ele reverte a polaridade de sua chave de fenda sônica e leva algum compannion para passeios transmídia, seja em eventos, festivais ou programas de TV. No caso de um avistamento, principalmente se The Sumpa for a personalidade dominante, espere o inesperado e corra para sobreviver.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo