Quer mais este assunto nerd? Nos visite diariamente.

O Predador (1987)

Quando o ser-humano é caçado por diversão

Você sabe o que é um Slasher Movie?

Slasher Movies são filmes pertencentes a um dos mais famosos subgêneros do horror, que coloca assassinos psicóticos caçando e matando vítimas indefesas, uma a uma, enquanto o restante do grupo tenta desesperadamente escapar.

Você já deve ter visto pelo menos um destes: “O Massacre da Serra Elétrica”, “Sexta-feira 13”, “Halloween” ou “A Hora do Pesadelo”, e se não viu, é bom que saiba que esses assassinos têm certa preferência por matar adolescentes no auge de seus hormônios.

A virgindade pode te salvar de uma morte horrível nestes filmes.

Agora, troque o acampamento estudantil na beira do lago por uma selva tropical, e os estudantes adolescentes por militares treinados e com armamento pesado, e você terá Predador, dirigido por John McTiernan, um Slasher Movie bem diferente.

Se tem uma coisa sobre a qual McTiernan entende é colocar ó herói contra um inimigo muito superior, algo que ele repete no ano seguinte com o clássico Duro de Matar (1988).

Vamos para a história, um grupo de militares especializados em resgate, e comandados pelo Major Alan “Dutch” Schaefer (Arnold Schwarzenneger) é convocado para encontrar um ministro e seu assistente, cujo helicóptero caiu no meio de uma selva na América Central, e seus ocupantes supostamente foram aprisionados por guerrilheiros.

Dutch terá que obedecer à ordens do Coronel George Dillon (Carl Weathers), com quem já trabalhou no passado e que agora atua para a CIA.

O grupo desce no meio da floresta e se encaminha para o acampamento dos guerrilheiros, para cumprir suas ordens, sem saber que algo terrível os espreita na floresta.

Agora, veja só que interessante, logo na primeira cena, o filme nos mostra uma nave espacial liberando algo que entra na atmosfera terrestre, ou seja, nos revela que haverá a presença de extraterrestres na trama, embora não saibamos ainda do que se trata.

No helicóptero que os leva para a floresta e no caminho para o acampamento dos guerrilheiros, através da interação entre seus membros, e de suas ações, descobrimos que estão juntos a um certo tempo, são entrosados e muito bons no que fazem.

Também percebemos que há algo de errado quando descobrem que outro time de militares norte-americanos esteve lá e foi liquidado, não por guerrilheiros, mas por algo ou alguém que não deixa sequer rastros.

Pouco antes do fim do primeiro arco, enxergamos a movimentação da equipe através de uma visão térmica, mas ainda não somos apresentados ao seu dono, o diretor deixa nossa imaginação trabalhar, sempre uma excelente ideia para aumentar a tensão.

Já que estamos falando de anos 80 e de Arnold Schwarzenneger, é lógico que veríamos explosões, corpos voando, soldados sendo derrubados aos montes e incapazes de acertar um único tiro nos protagonistas. É exatamente o que ocorre quando a equipe chega na base dos guerrilheiros, destruindo completamente o local, enquanto Schwarzenneger solta as típicas frases de efeito.

Aqui também entra outro elemento importante do cinema de ação da época, a mocinha indefesa, Anna Gonsalves, capturada e levada como prisioneira pelo grupo. Ela nos revela lendas contadas pelos mais velhos, sobre um demônio que caça seres-humanos e que só aparece de tempos em tempos, sempre nos anos mais quentes.

Me surpreende que ele não tenha vindo parar em Catanduva, no interior de São Paulo, aqui o clima iria agradar muito o tal demônio.

Somente após os 40 minutos de filme é que vemos o Predador fazer sua primeira vítima, matando um dos membros da equipe, mas o diretor ainda nos mantém sem saber exatamente o que está acontecendo, vemos o sangue jorrar, e uma criatura transparente, quase invisível o carregar para longe, enquanto Anna grita que a selva o levou.

O cenário está montado para uma caçada que prenderá nossa atenção; O ser-humano está no topo da cadeia alimentar em nosso planeta, graças ao uso de nossa tecnologia, somos o ser mais perigoso, e se ainda caçamos, na maioria das vezes, não é para comer, mas por pura diversão.

Predador coloca um ser ainda mais perigoso para caçar o ser-humano, e que, ao que tudo indica, também o faz por esporte, por diversão, uma vez que nos será revelado que ele, aparentemente, não mata pessoas desarmadas.

Os militares, com todo o seu treinamento e armamento, agora são a caça, e precisam fugir de algo que não compreendem (o desconhecido é sempre um grande aliado do medo), que passa por suas armadilhas com facilidade, e que possui uma tecnologia muito mais avançada.

Inevitavelmente, é claro, o diretor teria que mostrar o alienígena, e esse é um ponto crucial. Assim como Spielberg com seu Tubarão, McTiernan sabia que se o Predador não convencesse o público, seu filme desmoronaria, o que, de dato, quase aconteceu.

Originalmente, o Predador seria uma criatura que lembrava a aparência de um inseto, muito diferente do resultado final que vimos nas telas do cinema, e quem vestia a fantasia, acreditem se quiserem, era Jean-Claude Van Damme, em início de carreira.

Van Damme foi demitido e o design de inseto, para o bem da produção, foi descartado. Em seu lugar, entrou a armadura com seus aparatos tecnológicos e a aquela face assustadora.

O resultado é uma mistura de ação, ficção científica e Slasher Movie que funciona muito bem, sem perder o fôlego em momento algum e te prendendo até o confronto final entre caça e caçador.

Predador rendeu uma continuação em 1990, mas trocava a selva pela cidade de Los Angeles e Arnold Schwarzenneger por Danny Glover, o que acabou não agradando tanto quanto o primeiro e rendendo bem menos para o estúdio.

Poderia ter parado por aí, mas não foi o caso, Hollywood ainda trouxe de volta os bichos em 2004 e 2007 (Alien Vs Predador 1 e 2), 2010 (Predadores) e, mais uma vez em 2018 (O Predador), sem que qualquer um deles tenha chegado perto do original.

Haverá outras continuações? Nunca se sabe, pode ser que em um destes verões absurdamente quentes, os executivos de Hollywood voltem para caçar o nosso rico dinheirinho, e é bem capaz que você consiga ouvir de longe os gritos no interior dos cinemas.

 

 

você pode gostar também