Quinta série

O Falcão e o Soldado Invernal 1X05 – Verdade

Será que vidas negras realmente importam?

Se você perguntar a Isaiah Bradley, o Capitão América esquecido, ele dirá que não. Sua vida nunca importou o suficiente para que ele assumisse o manto do maior símbolo de sua nação, e seu conselho para o Falcão não é nada auspicioso.

Entenda, ele teve péssimas experiências. Na verdade, diferente dos quadrinhos, ele ainda consegue contá-las, o que só reforça a importância do personagem, que acabou sendo um mentor as avessas para o futuro Capitão Negro.

O nome do quinto episódio é “Verdade”, mas seria esta verdade… inconveniente ou conveniente demais? Agora que o símbolo foi manchado, é necessária uma limpeza. E o que é melhor pra isso do que uma reengenharia do conceito? Se nos anos 40, era necessário investir no conceito ariano para provar que a luta seria de igual pra igual, em 2021, vidas negras importam e o mundo não está fechhado à inclusão.

Já sabemos a verdade de Bradley, mas você já se perguntou qual a verdade de John Walker, que perdeu tudo após ter tomado o soro do supersoldado? A do Bucky, que parece um cachorro em busca da aceitação do seu dono? A da Sharon, que ao que parece, é o Mercador do Poder? E onde se Encaixa a Condessa Valentina Allegra de Fontaine (Julia Louis-Dreyfus), que finalmente descobrimos ser o grande ator interpretando aquele personagem “pé no chão” que havia sido anunciado dias antes. Seria ela a versão live-action da famosa Madame Hydra ou só mais um easter egg que mostra o surgimento da nova S.H.I.E.L.D.?

Alias, Louis-Dreyfus é o segundo ator do elenco de The New Adventures of The Old Christine que entra no MCU. O primeiro foi Clark Gregg, que interpretou o agente Phil Coulson no cinema e na TV.

Além disso, vimos que o ex-Capitão América quase foi para a corte marcial e teve de encarar a família do Estrela Negra, que endossou suas atitudes. Curiosamente, foi a primeira vez em vários episódios em que ele aparece barbeado. Com sua queda em desgraça anunciada, sua aparência começou a apresentar seu estado mental, denunciando que ele estava prestes a “pirar o cabeção”. Temos uma bomba relógio a solta com o soro do supersoldado nas veias. Nem precisa dizer que essa história ainda não terminou, né? Será que as intenções da Condessa Valentina Allegra de Fontaine ao contactá-lo são boas ou ruins? E na cena pós-crédito, ainda descobrimos que ele está construindo o seu próprio escudo… É, não terminou. Nem pra ele nem pro Zemo, que foi levado para a Balsa pelas Dora Milaje. Será que vão adaptar o primeiro arco dos Novos Vingadores do Bendis em que todos os vilões fogem da Balsa ou veremos os Thunderbolts saindo da toca, uma vez que sua base sempre foi numa das superprisões da Marvel.

Sim, o magnífico penúltimo foi um episódio sem ação, um daqueles respiros antes do conflito final com os apátridas, que chegaram a Nova Iorque prontos para acabar com a reunião do conselho que decidirá a questão dos refugiados, motivo pelo qual Karli Morgenthau juntou a banda.

A verdade é que se você não se importa com as entrelinhas e só quer porrada, vai achar o episódio um saco. Muita gente abandonou WandaVision por causa dos dois primeiros episódios, ainda assim, é nesses episódios que a história corre. Vemos, por exemplo, a interação entre Bucky e Sam, o treinamento de Sam com o Escudo… Além disso, vemos a possibilidade de termos um novo Falcão. Alguém reparou isso?

Na próxima semana, quando a série concluir, ficaremos sem séries da Marvel por um tempo, o que dá um belo peso a esse último episódio.

Alexandre D´Assumpção

Segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias, Alexandre D’assumpção, ou The Sumpa, é praticamente inofensivo. Apesar de todas as lendas a seu respeito, ele é apenas um professor Nerd, redator, roteirista de quadrinhos e audiovisual que nos anos 80 pediu carona para uma cabine azul e desde então, tem vivido suas aventuras através do espaço/tempo. Para facilitar a viagem, tornou-se mestre Zen na arte de ter um rosto tão comum que todos sempre o cumprimentam imaginando se tratar de outra pessoa; normalmente ele mesmo. Dono de uma péssima memória, ele nunca se lembra de detalhes importantes como rostos, grupos que passou nem dos inimigos que ameaçam sua vida, o que é péssimo quando ele os encontra em becos escuros. Sua toalha é customizada e ostenta a máscara da Iniciativa Gambate, empresa criada por ele para levar a cultura Pop a todos aqueles que dela precisarem, estejam onde estiverem. De tempos em tempos ele reverte a polaridade de sua chave de fenda sônica e leva algum compannion para passeios transmídia, seja em eventos, festivais ou programas de TV. No caso de um avistamento, principalmente se The Sumpa for a personalidade dominante, espere o inesperado e corra para sobreviver.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo