No Século Passado

O dia em que o Sandman acabou com uma convenção de Serial Killers

Esta história foi publicada no século passado, então, sim, tem spoiler.

O quinto capítulo da série chamada “A Casa das Bonecas” traz uma das histórias mais perturbadoras não apenas de Sandman, mas dos quadrinhos em geral.

Rose Walker, a protagonista da série, uma jovem que está procurando por Jed, seu irmão desaparecido, acompanhada por Gilbert, seu colega de pensão, que sem que ela saiba é o “Verde do Violinista”, um sonho que fugiu e assumiu forma humana quando Sandman ficou aprisionado por décadas, hospedam-se em um hotel que está realizando uma aparentemente inofensiva Convenção de Cereais.

Rose e Gilbert são os únicos hóspedes que não fazem parte da convenção, e estão no hotel unicamente porque seu carro quebrou e a polícia solicitou que não saíssem do local até concluir as investigações sobre o desaparecimento de Jed.

Os convidados da Convenção de Cereais aparentam serem pessoas comuns, até mesmo simpáticas, cordiais, mas aos poucos, percebemos que há algo de muito errado com elas, começando pela fixação pela morte. Descobrimos então que se trata de uma macabra convenção de Serial-Killers (manja, Serial, Cereal).

Isso é o mais perturbador, homens e mulheres que matam aos montes, por diversão, prazer, ou porque uma voz mandou que o fizessem, se reunindo e confraternizando como se o seu “passatempo favorito” fosse algo comum, assistindo palestras e mesas redondas com nomes peculiares como “Insanidade Mental não Existe” e “A Mulher nos Assassinatos Seriais”.

Neil Gaiman parte de uma premissa verdadeira e por isso mesmo assustadora, assassinos seriais não vem com uma marca que aponte sua perturbação mental, podem ser qualquer um, homem ou mulher, o seu vizinho, o seu colega de classe ou de trabalho. Gente como Dorothy Puente, uma “simpática” velhinha dona de Pensão que matava as pessoas que moravam no local e enterrava no seu jardim, para depois falsificar suas assinaturas nos cheques do seguro social e receber o dinheiro que era enviado, ou Beverley Gail Allit, também conhecida como o Anjo da Morte, que trabalhando na ala pediátrica de um hospital na Inglaterra, injetou substâncias como potássio e insulina em crianças, matando quatro delas e deixando outras em estado grave.

Na trama de Gaiman, um dos mais famosos Serial Killers presentes no local é o Coríntio, que assim como o “Verde do Violinista”, é um sonho fugitivo, ou melhor, um pesadelo fugitivo, que se passa por humano. Ele é tratado como celebridade pelos demais assassinos, torna-se convidado de honra e é convidado para fazer um discurso.

Outro ponto interessante desta história, é a tentativa por parte dos assassinos, retratada no discurso de Coríntio, de se enxergarem não como monstros, mas como algo maior do que o ser humano, predadores que estão realmente vivos, matando por matar e não por lucro ou contrato.

Essa imagem distorcida é desfeita por Sandman logo após a derradeira batalha contra o Coríntio, que de batalha pouco tem, dada a facilidade com que o Senhor dos Sonhos derrota o fugitivo. Sandman também dá a entender que presença de Coríntio entre os humanos nas últimas décadas foi responsável pelo aumento no número de assassinos seriais.

“A Casa de Bonecas” é uma das melhores séries de Sandman, e essa é uma das melhores, senão a melhor de suas histórias, aproximando o núcleo de Rose, Gilbert e Jed do Senhor dos Sonhos, e preparando o terreno para a conclusão que ocorreria nas próximas duas edições.

Imperdível para quem é fã de Sandman, quadrinhos de qualidade e suspense.

Fernando Fontana

Fernando Fontana é escritor e adulto amador, criador do Site Super Ninguém e colaborador do Canal Metalinguagem, onde escreve sobre filmes e quadrinhos antigos. Tá sabendo da novidade? Somos parceiros da Amazon. Vai comprar na Amazon? Utilize o código: canalmetali06-20! e dê uma força para o canal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo