No Século Passado

O dia em que Lobo quase fez picadinho da Liga da Justiça Internacional

Esta história foi publicada no século passado, então, sim, tem spoiler.

Certamente você já ouviu falar do Lobo, o mercenário intergaláctico conhecido como “o maioral”, que no dialeto Khúndio significa “aquele que devora suas entranhas e aprecia cada instante”, capaz de dar uma surra de havaianas de pau no Superman, praticamente imortal, recusado pelo céu e pelo inferno, último sobrevivente de seu planeta Czarnia, após ele mesmo ter assassinado todos os demais habitantes quando ainda era um jovenzinho, que já matou o Papai Noel e o Coelhinho da Páscoa em uma mesma HQ.

O que talvez você não saiba é que, em 1988, nas páginas da revista Liga da Justiça Internacional, de J. M. DeMatteis e Keith Giffen (que criou o mercenário junto com Roger Slifer em 1983) o Czarniano quase fez picadinho de boa parte da Liga da Justiça.

Tudo começou em Liga da Justiça Internacional 14, quando uma organização intergaláctica conhecida como Conclave, liderada pelo magnânimo Lorde Manga Khan, chega ao planeta Terra com o propósito de realizar a nobre e necessária arte do escambo, obtendo produtos da Terra em troca de produtos de outros planetas. Infelizmente, a proposta do Conclave não é das mais gentis ou sequer opcional, nas palavras de L-Ron, fiel escudeiro de Lorde Manga: “Troque ou morra, povo da Terra!”.

Evidentemente este ultimato não foi bem recebido pelas nações do mundo e a Liga da Justiça decidiu intervir, lutando e expulsando o Conclave da Terra, o que eles conseguiram, mas com um pequeno revés, Scott Free, o Senhor Milagre, filho do Pai Celestial e marido da poderosa Barda, é sequestrado pelo Conclave.

Para Lorde Manga Khan, Scott é uma carga mais valiosa do que qualquer item que ele poderia ter obtido na Terra, já que abre a possibilidade de iniciar relações comerciais com Apokolips, planeta governado por Darkseid.

Um grupo formado por Ajax, Soviete Supremo, Gnort (também conhecido como o mais incompetente dos Lanternas Verdes) e a Grande Barda, conseguem uma nave e partem em perseguição ao Conclave (impressionante como é fácil obter uma nave espacial nos quadrinhos de super-heróis, é quase como alugar um carro de passeio).

Incomodado com os super-heróis terrestres que não largam do seu pé, tentando recuperar sua preciosa carga, Manga Khan decide utilizar um dos seus trunfos, contratando Lobo para eliminar a equipe. Para garantir que o mercenário não recuse a oferta, o Conclave oferece dez anos de suprimentos para Golfinhos Estelares, os únicos seres do universo que despertam algo de bom em Lobo: “a maioria das formas de vida interestelares me dá ânsia de vômito, mas vocês, minhas gracinhas, meus amiguinhos golfinhos cósmicos estelares, mandam bem para caramba”.

Assim, com o contrato aceito, Lobo parte para interceptar e massacrar a Liga. É bom que se diga que essa versão do Lobo é basicamente a que conhecemos, com a pele branca, olhos vermelhos, jaqueta de couro, moto interestelar, mas bem menos bombado, como se ainda não tivesse se entupido de anabolizantes.

E ele até que foi educado ao encontrar a nave da Liga: “eu não tenho nada contra vocês pessoalmente, mas aceitei um contrato para acabar com suas vidas, por isso eu lamento informar que só restam dois minutos para quem quiser fazer as pazes com seus deuses”. Caramba, a maioria dos assassinos não é tão gentil, não é nada pessoal, são apenas negócios.

Agora, caro leitor, Lobo seria capaz de derrotar os quatro super-heróis presentes na nave? Vamos ignorar Gnort, que é um peso morto, e nos concentrar nos demais, o.k.? O Soviete Supremo tentou argumentar de forma razoável com o Lobo e teve sua armadura despedaçada. Ajax, que é forte pra caramba, até tentou descer a porrada no mercenário, mas foi alertado por Barda de que teria que pegar leve porque uma única gota de sangue do Lobo pode se transformar em uma cópia dele.

Caras, para e pensa por um instante, uma gota de sangue se transforma em uma cópia do Lobo. Quem foi que teve a ideia genial de dar esses poderes para ele? É muito apelativo! Enfim, é meio difícil vencer alguém que pode te partir no meio com um soco enquanto você toma cuidado para não machucar o sujeito.

A única solução encontrada por Barda foi utilizar seu megabastão para teleportar o mercenário para muito longe. Infelizmente, por um pequeno erro de cálculo, Lobo acaba denso transportado para a sede da Liga na Terra, onde acaba saindo na porrada com Guy Gardner (também conhecido como o mais escroto dos Lanternas Verdes) e, posteriormente contratado como membro temporário da Liga (já que ninguém sabia que na realidade ele havia sido contratado para matar a equipe), mas isso já é outra história para outro post.

A Panini lançou uma série de sete encadernados com as histórias da Liga da Justiça Internacional de J. M. DeMatteis e Keith Giffen, uma das fases mais hilárias de uma equipe de super-heróis.

Vale a pena conferir!

Fernando Fontana

Fernando Fontana é escritor e adulto amador, criador do Site Super Ninguém e colaborador do Canal Metalinguagem, onde escreve sobre filmes e quadrinhos antigos. Tá sabendo da novidade? Somos parceiros da Amazon. Vai comprar na Amazon? Utilize o código: canalmetali06-20! e dê uma força para o canal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo