No Século Passado

O dia em que Guy Gardner apanhou e virou fã do Erradicador

Esta história foi publicada no século passado, então, sim, tem spoiler.

Guy Gardner, atualmente um dos Lanternas Verdes que protegem o setor da Terra, jamais ficou conhecido pelo seu comportamento equilibrado e pelo bom senso, sua entrada para a Tropa dos Lanternas é, até hoje, motivo de polêmica e um grande mistério para a maioria dos membros.

Gardner possui um histórico onde, agindo de forma impulsiva, fez besteira, e o momento sobre o qual falaremos hoje é apenas mais um deles.

Na minissérie “O Retorno do Super-Homem”, após a suposta morte de Kal-El, surgem quatro candidatos à “substitutos” do Kryptoniano, gerando um grande impasse, já que pelo menos dois deles insistiam serem os verdadeiros: o Super Ciborgue e o Erradicador. Hoje, nós sabemos que o Erradicador é um artefato tecnológico altamente desenvolvido que veio do planeta Krypton, mas na época ele se autointitulava “O Último Filho de Krypton”, e, pelo menos, na aparência, era o mais próximo do antigo.

Gardner, que nunca foi fã do Superman, basicamente o considerando um frouxo, mudou de opinião após o herói se sacrificar em sua batalha contra o monstro Apocalypse que, anteriormente, tinha dado uma surra na Liga da Justiça, com o Lanterna entre eles. É bom lembrar que na época, ele estava utilizando o anel amarelo que pertenceu à Sinestro, já que havia perdido o anel esmeralda em uma luta contra Hal Jordan.

Agora, com a opinião mudada, Gardner não gostou nem um pouco de um monte de gente voando para cima e para baixo com um “S” no peito, tentando tomar o lugar de seu antigo companheiro de equipe. Revoltado, o ex lanterna verde montou uma armadilha para atrair a atenção do Último Filho de Krypton, e sem perder tempo com coisas inúteis como conversar ou pedir explicações, partiu direto para a pancadaria.

A luta entre os dois durou apenas quatro páginas, pois o Erradicador acertou Gardner com tanta força que o fez voar e atingir um galpão onde bandidos tentavam roubar armas. A forma violenta com a qual o “novo Superman” atacou e derrubou os assaltantes, fez com que rapidamente o Lanterna mudasse mais uma vez de ideia e passasse a considerá-lo como o verdadeiro defensor de Metrópolis: “Olha, se ele não é o Super-Homem, então deveria ser! O sujeito engrossa com um bando de meliante…”.

Curiosamente, no sentido oposto, o fato de Gardner ter se tornado seu maior fã, fez com que o Erradicador começasse a rever sua conduta: “Agora Gardner me aplaude, apenas isto já é suficiente para que eu questione o que fiz”.

Diga-me quem são teus fãs e eu direi quem tu és!

Estava certo o Erradicador, mas não, ele não era o verdadeiro Superman.

Ao final da minissérie ficamos sabendo que o Erradicador havia copiado o corpo do Superman, e levado o verdadeiro para a Fortaleza da Solidão.

No fim das contas, acabou sendo apenas mais um dia comum na vida de Guy Gardner.

Fernando Fontana

Fernando Fontana é escritor e adulto amador, criador do Site Super Ninguém e colaborador do Canal Metalinguagem, onde escreve sobre filmes e quadrinhos antigos. Tá sabendo da novidade? Somos parceiros da Amazon. Vai comprar na Amazon? Utilize o código: canalmetali06-20! e dê uma força para o canal.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo