Quer mais este assunto nerd? Nos visite diariamente.

Não Assistimos: Coringa

Gosta do Batman, viu todos os filmes e quer rever o universo do personagem cujo preparo vence todos os inimigos? Gostou do Curinga do Heath Ledger e espera encontrar algo assim no filme solo do Príncipe palhaço do crime? Pense duas vezes antes de pagar o ingresso. O Coringa é um daqueles filmes que incomodam, e podem até espantar os curiosos que forem ao cinema assistir uma aventurina descompromissada mais focada na troca de sopapos entre um morcego e sua carta do baralho preferida.

A versão do Sr. C interpretada por Joaquin Phoenix incomoda. Despido da pirotecnia, do Glamour fantasioso e do carisma inerente a qualquer protagonista, o personagem nos mostra uma questão que A Piada Mortal já havia levantado. Se todos estamos a um dia ruim da explosão, o destino de Arthur Fleck foi uma tragédia anunciada. Fomos acompanhando cada degrau de seu caminho em direção à insanidade cujos momentos de pico foram representados pela escada onde Arthur Fleck desceu e Coringa comemorou seu primeiro nascimento.

Apesar das aparições pontuais de Thomas (Brett Cullen), Martha (Carrie Louise Putrello)e Bruce Wayne (Dante Pereira-Olson) e até do não creditado Alfred (Douglas Hodge), o filme não apresenta outros personagens conhecidos da cidade, o que é bom, afinal, é a história da suposta origem do Coringa, não uma introdução prévia a Gotham. Se bem que a cidade em si é um personagem a parte. A Gotham deste filme é uma cidade opressiva que enfrenta os problemas da América no começo da era Reagan, a mesma máquina de fazer doidos apresentada por Frank Miller em Batman Ano Um e em vários filmes contemporâneos como Taxi Driver, onde Travis Bickle (Robert De Niro) cedia a todas as pressões de uma sociedade opressiva. Assim como o personagem de De Niro, que também estava no filme, na pele do apresentador de Talk Show Murray Franklin, Fleck vai se entregando áquilo que o mundo lhe reservou. Diferente de Bickle, Fleck pode ser visto como uma vítima da solidão e das puxadas de tapete que vai levando da vida. Ele vai perdendo tantas coisas importantes ao longo do caminho que tudo e todos vão perdendo tanto a importância quanto o sentido.

Isso, se a história for real. Uma vez que a narrativa não é confiável, a história pode nem ser real. Arthur pode ser um fã narcisista do Coringa que resolveu seu vazio existencial assumindo a culpa pelos crimes de outro. Como já vimos em algumas cenas, Arthur e a realidade não são grandes amigos, mas isso vem de berço; sua mãe, Penny Fleck (Frances Conroy), também vive numa realidade alternativa, cheia de ilusões, o que acaba lhe trazendo muitos problemas ao longo da trama.

Coringa é um filme polêmico, mas não pelos motivos imaginados, ainda assim, não é um recomendado para depressivos e angustiados. Joaquim Phoenix vai nos entregando um personagem cada vez mais desgostoso e destruído que se arrasta ao longo de dias cada vez mais miseráveis e opressivos. Tudo no personagem incomoda, seja sua risada inconveniente que beira o choro, sua magreza cada vez mais disforme ou os maus tratos e abusos que ele se permite sofrer até um determinado ponto da história. Todd Philips e Scott Silver acertaram a mão, neste que mais parece um filme indie do que de estúdio, o que certamente espantará quem não entrar na sala de cinema esperando algo além disso. No cinema que fui, dois terços dos pagantes foram embora antes mesmo da conclusão do segundo ato.

Data de lançamento: 3 de outubro de 2019 (Brasil)

Direção: Todd Phillips

Música composta por: Hildur Guðnadóttir

Prêmios: Leão de Ouro

Roteiro: Todd Phillips, Scott Silver

Elenco: Joaquin Phoenix ,Robert De Niro ,Zazie Beetz ,Frances Conroy,Brett Cullen,Dante Pereira-Olson,Douglas Hodge,Glenn Fleshler, Marc Maron

PRODUÇÃO

Produtor:Todd Phillips

Produtor:Bradley Cooper

Produtores:Emma Tillinger Koskoff, Michael E. Uslan,Walter Hamada, Aaron L. Gilbert,Joseph Garner,Richard Baratta,Bruce Berman

EQUIPE TÉCNICA

Diretor de fotografia:Lawrence Sher

Montador chefe:Jeff Groth

Cenografista:Mark Friedberg

Chefe figurinista:Mark Bridges

EMPRESAS ENVOLVIDAS

Distribuição internacional / Exportação:Warner Bros.

Produção:Warner Bros.

Produção:DC Entertainment

Produção: Bron Studios

Produção: Village Roadshow

Distribuidor brasileiro (Lançamento):Warner Bros.

você pode gostar também