Não AssistimosNão Assistimos

Não Assistimos: 10 Horas Para o Natal (2020)

Quer um filme bobinho que te faz rir e (dependendo da sua sensibilidade) chorar em alguns momentos?

10 HORAS PARA O NATAL pode ser esse filme, mas pra isso, você precisa perder o preconceito contra filmes brasileiros e\ou natalinos e o mais importante: descancelar o Porta dos Fundos. É, sabemos que alguns de vocês fizeram isso, por isso é importante separar os atores da empresa, principalmente quando estão atuando em outras mídias.

O filme tem muitos acertos:

Luis Lobianco tem construído uma bela carreira na TV e no cinema. Ainda que muitos de seus personagens pareçam ter personalidades meio parecidas, ele sabe aproveitar todas as chances que tem para brilhar. Sua colega de Porta Karina Ramil, sua colega de Porta é um pouco mais engessada, mas funciona muito bem como escada, e todos sabemos o quanto um bom escada é importante para que a piada funcione.

Outro acerto são as crianças. Giulia Benite, que ficou conhecida como a Mônica do Filme Turma da Mônica – Laços é Júlia, a filha mais velha e espevitada de Marcos Henrique (Lobianco) e Sônia (Ramil). Ela meio que é a voz que nos guia ao longo do filme. No começo, até por ela quebrar a quarta parede para nos mostrar os pontos de virada da história, temos a impressão de que são lembranças da menina e de seus irmãos Miguel, de (Pedro Miranda, do “The Voice Kids”), e Bia, de (Lorena Queiroz, da novela “Carinha de Anjo”), mas a certeza da narradora é questionada em muitos momentos.

Se Miguel assume o papel de escada do núcleo infantil, Bia, que é praticamente uma sirene, vira uma piada pronta. É impossível não rir com as situações criadas pelos seus berreiros.

A história do filme é simples e fofa. Quando seus pais se separaram, os filhos dos Silva passam a dividir as festas de fim de ano entre as duas novas famílias que se formam a partir disso. Cansados das festas chatas e entediante, as crianças decidem resgatar a alegria dos antigos natais da família Silva.

E toda a história gira em torno das situações criadas pelas consequências dessa tentativa desesperada das crianças.

O sonho dos filhos de um lar partido? Nossa, que coisa triste…

A grande verdade é que o filme não se leva tão a sério, a começar pelo narrador, o que nos faz pensar que algumas situações podem estar sendo vistas pelo olhar lúdico de uma menina de 11 anos que quer muito que os pais voltem, o que permite várias liberdades narrativas. É impossível não reconhecer a assinatura da diretora Cris D’Amato. Crianças bem afinadas e cenas que foram pensadas para pertencer ao videoclipe da música “Sinto um Frio”, música que é uma colagem de cenas do filme.

Alias, a questão do frio só reforça a ideia de que o filme é narrado sobre a ótica lúdica da Júlia. Ela almeja aquele natal perfeito que os filmes e séries americanas mostram.

Dez Horas Para O Natal é um pouco disso e tudo mais. É aquele filme escapista que diverte e nos faz sentir bem. E ainda mais importante, é um filme para toda a família em que todos vão rir, cada um por seus motivos, claro.

Duvida? Ele estreia dia 03/12. Aproveite que os cinemas ainda estão abertos e leve sua família (seguindo todas as regras de saúde, claro).

10 HORAS PARA O NATAL

3 de dezembro de 2020 / Família, Comédia

Nacionalidade Brasil

SINOPSE E DETALHES

Em 10 Horas para o Natal, cansados de passar noites de Natal sem graça depois que seus pais se separaram, Julia (Giulia Benite), Miguel (Pedro Miranda) e Bia (Lorena Queiroz) bolam um plano para reunir novamente Marcos Henrique (Luis Lobianco) e Sônia (Karina Ramil) e, assim, relembrar os velhos tempos em que esperavam o Papai Noel como uma família. Mas, se quiserem colocar sua ideia em prática, os irmãos terão que correr contra o tempo, pois faltam apenas 10 horas para o Natal.

Confira a classificação indicativa no Portal Online da Cultura Digital.

ELENCO:

Marcos Henrique – Luis Lobianco

Julia – Giulia Benite

Miguel – Pedro Miranda

Bia – Lorena Queiroz

Sônia – Karina Ramil

Silvio – Marcelo Laham

Dona Nena – Jandira Martini

Seu Leon – Arthur Khol

Tia Zilu – Eliana Guttman

Tia Aldinha – Amelinha Bittencourt

FICHA TÉCNICA:

Direção: Cris D’Amato.

Roteiro: Bia Crespo e Flavia Guimarães

Fotografia: Ale Ramos

Direção de arte: Claudia Calabi

Produção Executiva: Renata Rezende

Produção: Sandi Adamiu e Marcio Fraccaroli

Distribuição: Paris Filmes

Alexandre D´Assumpção

Segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias, Alexandre D’assumpção, ou The Sumpa, é praticamente inofensivo. Apesar de todas as lendas a seu respeito, ele é apenas um professor Nerd, redator, roteirista de quadrinhos e audiovisual que nos anos 80 pediu carona para uma cabine azul e desde então, tem vivido suas aventuras através do espaço/tempo. Para facilitar a viagem, tornou-se mestre Zen na arte de ter um rosto tão comum que todos sempre o cumprimentam imaginando se tratar de outra pessoa; normalmente ele mesmo. Dono de uma péssima memória, ele nunca se lembra de detalhes importantes como rostos, grupos que passou nem dos inimigos que ameaçam sua vida, o que é péssimo quando ele os encontra em becos escuros. Sua toalha é customizada e ostenta a máscara da Iniciativa Gambate, empresa criada por ele para levar a cultura Pop a todos aqueles que dela precisarem, estejam onde estiverem. De tempos em tempos ele reverte a polaridade de sua chave de fenda sônica e leva algum compannion para passeios transmídia, seja em eventos, festivais ou programas de TV. No caso de um avistamento, principalmente se The Sumpa for a personalidade dominante, espere o inesperado e corra para sobreviver.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo