Doctor WhoNão Assistimos

Doctor Who (S12e05): Fugitive of The Judoon

E chegamos ao meio da temporada!

Fugitivo dos Judoon mostra a Doutor voltando para a terra apenas para encontrá-la interditada para uma busca da força policial com cabeça de rinoceronte. Como ela sabe do que eles são capazes, tenta interferir para evitar excesso de brutalidade. Seus caminhos se cruzam com os da guia turística Ruth, que só queria ter um dia de aniversário agradável, mas sua vida é completamente bagunçada com a chegada dos Aliens. Enquanto isso, algo (ou alguém) sequestra Graham, Ryan e Yaz.

Sabe aqueles comentários sobre o medo de que Chris Chibnall estragaria a série? Esqueça (ao menos por enquanto).

Fugitivo dos Judoon muda todas as regras do jogo ao nos dar vários Fan Services. Chibnall traz vários elementos usados por Russel T. Davies na série moderna misturados com elementos da série clássica. Ruth é a Doutor que os nostálgicos gostariam de ver, ela ecoa a imponência dos Doutores mais velhos, não usa a chave de fenda sônica exatamente como os dois últimos doutores da série clássica e a skin da sua Tardis é simples, elegante e branca como a dos primeiros Doutores.

Ok, o conceito de um doutor desmemoriado lembra bastante os episódios Family of Blood e Human Nature, que foram inspirados no livro do Paul Cornell. Curiosamente, vemos uma inversão étnica, uma vez que no episódio, Martha Jones era a compannion negra de um doutor branco.

O interessante é que até chegarmos a essa revelação, a história nos leva a tantas falsas conclusões sobre quem ou o que seria o tal fugitivo, que quando descobrimos ser um Doutor alternativo ficamos ainda mais perdidos, principalmente após o aviso de que a Doutor não pode dar o que o tal Cyberman solitário deseja ter sido dado no mesmo momento em que ela e Ruth estavam viajando em direção ao farolem que a personagem dizia ter crescido.

Quem deu o aviso? Essa é uma surpresa que vamos guardar para que você assista o personagem e não sinta a mesma frustração que teve ao saber que o Mestre de Jon Simm se encontraria com a Missy. Chibbs sabe manter segredos e iremos respeitá-lo. Ainda sobre os Cyberman, a ideia deles fazerem algo de trás pra frente certamente foi retirada da série de quadrinhos Dimensão Perdida, que já deve estar disponível pela Panini Brasil. Nela, Os Cybermen começam algo durante a era do 12° Doutor que vai afetando seus egos passados.

Sim, Chibbnal sabe reciclar ideias como ninguém, tanto que apesar de sabermos que ele não seguirá este caminho, o encontro das Doutores lembrou um pouco o episódio The Next Doctor, principalmente as críticas que a Doutor Ruth fez as atitudes e sua escolha de vestuário de nossa Doutor. Curiosamente, o plano da Doutor Ruth de manipular a situação e sua reação ao que aconteceu lembrou algo que o sétimo Doutor faria.

O que sabemos da trama até agora? O Mestre destruiu Gallyfrey por causa da lenda da Timeless Child (Criança atemporal?) e fez questão que a Doutor soubesse, fomos avisados sobre um império caído que não pode se reerguer e vimos que isso já está causando alguns paradoxos. Será que Kassavin são os Cybermen? Seu plano de invadir a terra em diferentes épocas bate com o aviso e não seria a primeira vez que os Cybermen usariam este tipo de disfarce, ainda mais com o mestre envolvido. Será que ele realmente não sabia de quem se tratavam? E por último,mas não menos importante: Será que a história de Doctor Who foi reescrita? Ruth alega ser uma regeneração passada que a personagem não se lembra da existência.

Outro elemento importantíssimo, é que assim como o 11º Doutor em sua primeira temporada, a 13 também tem seus segredos que não quer dividir com a Fam e fica irritadiça quando é questionada a respeito, dando um tom mais sombrio numa versão que até então, parecia uma professora maluquinha de primário. Como a Tardis não é um ônibus mágico cheio de criancinhas, criar uma Doutor que lembra a Srta. Frizzle tira a profundidade do personagem. Os novos tons dados ao seu relacionamento com Ryan, Graham e Yaz deixaram a dinâmica da série mais interessante. Eles ainda parecem personagens vazios que seguem incondicionalmente alguém que lhes dê um propósito de vida, mas com a mudança de atitude da personagem e com as dicas de que a Doutor é mais do que eles veem, somos lembrados de que não estamos num jardim de infância.

Faltando cinco episódios para o fim da série, já podemos dizer que Chibbnal está mandando bem e que quem quiser acompanhar seu run na série pode Assistir o primeiro episódio da 11ª temporada, esquecer o resto e seguir adiante a partir de Resolution, a 12ª temporada pode até ter muitas ideias requentadas, mas é difícil ser inédito numa série com mais de 50 anos, o truque é a forma como as ideias, sejam elas novas ou não são apresentadas, ainda mais quando o autor usa a metalinguagem para responder as críticas sobre suas decisões criativas.

Ano passado, houve boatos de que e Jodie não voltariam para mais uma temporada, mas aqui estão eles dando o seu melhor pela série. Se eles estão engatando ou este é seu canto do cisne, ao menos estão dando o que o fã quer, uma temporada redondinha e agradável que nos faça voltar todas as semanas para saber o que vai acontecer com nosso personagem preferido.

Mostrar mais

Alexandre D´Assumpção

Segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias, Alexandre D’assumpção, ou The Sumpa, é praticamente inofensivo. Apesar de todas as lendas a seu respeito, ele é apenas um professor Nerd, redator, roteirista de quadrinhos e audiovisual que nos anos 80 pediu carona para uma cabine azul e desde então, tem vivido suas aventuras através do espaço/tempo. Para facilitar a viagem, tornou-se mestre Zen na arte de ter um rosto tão comum que todos sempre o cumprimentam imaginando se tratar de outra pessoa; normalmente ele mesmo. Dono de uma péssima memória, ele nunca se lembra de detalhes importantes como rostos, grupos que passou nem dos inimigos que ameaçam sua vida, o que é péssimo quando ele os encontra em becos escuros. Sua toalha é customizada e ostenta a máscara da Iniciativa Gambate, empresa criada por ele para levar a cultura Pop a todos aqueles que dela precisarem, estejam onde estiverem. De tempos em tempos ele reverte a polaridade de sua chave de fenda sônica e leva algum compannion para passeios transmídia, seja em eventos, festivais ou programas de TV. No caso de um avistamento, principalmente se The Sumpa for a personalidade dominante, espere o inesperado e corra para sobreviver.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo