CineclubeNão Assistimos

Assassinos por Natureza (1994)

Ver o mundo através dos olhos dos predadores:

Lançado em 1994, Assassinos por Natureza é um filme incômodo que permite ver o mundo pelos olhos de Mick e Mallory Nox, um casal de predadores que espreitam pelas veias da América.

Assassinos por Natureza é o que acontece quando um roteiro de Quentin Tarantino cai nas mãos de Oliver Stone.

O filme é uma crítica ao endeusamento não só dos Serial Killers como dos programas sensacionalistas, duas manias que apesar de mundiais, ganharam força ou nasceram nos EUA.

Se Tropa de Elite te incomodou ou abriu seus olhos, em Assassinos por Natureza, a verdade vai explodir na sua cara.

Não é um roteiro convencional:

Num roteiro normal, temos o personagem cujo caráter está acima de todos os outros e serve como espelho da moral de uma sociedade judaico-cristã que tende a varrer suas aberrações pra debaixo do tapete.

Qual personagem guarda essas características? Seria Mickey Knox (Woody Harrelson)? Mallory Knox (Juliette Lewis)? O repórter Wayne Gale (Robert Downey Jr.) ou o superexagerado agente penitenciário Dwight McCluskyo interpretado por Tommy Lee Jones? Se nenhum desses preencher o arquétipo, será que o pervertido policial Jack Scagnetti (Tom Sizemore) teria os tais atributos?

Todos tem, ninguém tem. Quem se importa.

O filme não pretende contar uma história fácil ou linear. Ele brinca com a metalinguagem e nos lembra o tempo todo que tudo e nada daquilo pode ser real. Estamos falando de uma dupla de sociopatas drogados que acreditam ter o direito divino de tirar vidas.

Dois psicopatas que a imprensa marrom transforma nos novos ícones da cultura pop.

25 anos depois…

O filme completou 25 anos, sendo ao mesmo tempo datado e atual. A linguagem e o grafismo da MTV, famosa nos anos 80 e 90 não funcionariam numa época em que os fãs praticamente precisam que o filme desenhe o que está acontecendo.

A forma como ele nos lembra de que (não só) os protagonistas vivem em seu próprio mundo, que pode até se encontrar com o nosso, mas nunca será o mesmo. Eles são astros que vivem num mundo da TV, o que nos é mostrado através de todos os chroma keys, imagens de arquivo e outros elementos que o filme usa para nos impedir de descer ao mesmo nível dos personagens.

O filme nos avisa que não devemos nos envolver, afinal, eles não são boas pessoas e não deveriam ser vistos como bússola moral de ninguém. O problema é que como curtimos doses seguras de iconoclastia, admiramos pessoas que nunca teríamos coragem de conhecer.

E a critica não poupa nem os responsáveis pela manutenção da lei. Jack Scagnetti é um psicopata que por acaso, está do nosso lado e Dwight McCluskyo é um sádico que goza ao saber que seus presidiários mais famosos serão lobotomizados.

Será que todos são assim porque no mundo real, por mais que todos acreditam e até tentem ser, não há santos, heróis ou vilões?

O filho bastardo de Tarantino e Oliver Stone

É interessante ver o que acontece quando um Tarantino em começo de carreira encontra um Oliver Stone mais maduro que sabe como tirar o melhor de um roteirista que só passaria a ser uma grife a partir de Cães de Aluguel, seu projeto seguinte.

Diálogos rápidos, uma direção que parece ter se inspirado naquele filme lisérgico do Gato Fritz e em outros filmes experimentais e expressionistas.

É isso fica ainda mais curioso quando descobrimos que poucos anos após esse filme, Robert Downey Jr. viveu seu faroeste da vida real.

Ah, sim… Woody Harrelson cabeludo, né? Isso é coisa do século passado.

Alexandre D´Assumpção

Segundo o Guia do Mochileiro das Galáxias, Alexandre D’assumpção, ou The Sumpa, é praticamente inofensivo. Apesar de todas as lendas a seu respeito, ele é apenas um professor Nerd, redator, roteirista de quadrinhos e audiovisual que nos anos 80 pediu carona para uma cabine azul e desde então, tem vivido suas aventuras através do espaço/tempo. Para facilitar a viagem, tornou-se mestre Zen na arte de ter um rosto tão comum que todos sempre o cumprimentam imaginando se tratar de outra pessoa; normalmente ele mesmo. Dono de uma péssima memória, ele nunca se lembra de detalhes importantes como rostos, grupos que passou nem dos inimigos que ameaçam sua vida, o que é péssimo quando ele os encontra em becos escuros. Sua toalha é customizada e ostenta a máscara da Iniciativa Gambate, empresa criada por ele para levar a cultura Pop a todos aqueles que dela precisarem, estejam onde estiverem. De tempos em tempos ele reverte a polaridade de sua chave de fenda sônica e leva algum compannion para passeios transmídia, seja em eventos, festivais ou programas de TV. No caso de um avistamento, principalmente se The Sumpa for a personalidade dominante, espere o inesperado e corra para sobreviver.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo