Quer mais este assunto nerd? Nos visite diariamente.

A Primeira Missão do Esquadrão Suicida

Um grupo de condenados sai, nem todos voltam.

Amanda Waller e sua Força-Tarefa X avançam

Esta história foi publicada no século passado, então, sim, tem spoiler.

Ok, você assistiu Esquadrão Suicida (2016) no cinema e pensou: O que foi que eu fiz com meu rico dinheirinho?

Eu te entendo, o filme foi bem ruim, não, péssimo seria um adjetivo melhor para descrever a obra em questão, mas, caso você não saiba, o que é improvável já que você está lendo essa matéria no Canal Metalinguagem, um reduto Nerd, o filme é baseado na equipe dos quadrinhos, e hoje falaremos sobre sua primeira missão.

As sementes que dariam origem ao grupo foram plantadas na minissérie Lendas (1986), primeira depois da mega saga Crise Nas Infinitas Terras, com roteiro de John Ostrander e desenhos de John Byrne.

Nela, Darkseid elabora um plano que tem por objetivo minar a confiança do povo nos super-heróis, desacreditando “as lendas” e voltando a população contra elas. Uma das peças utilizadas pelo Senhor de Apokolips, é o monstro Enxofre, uma criatura gigantesca feita de plasma de hidrogênio superaquecido (não tenho ideia do que seja isso, mas se eu aceito que uma aranha radioativa pode dar superpoderes caso pique alguém, então estou de boa).

Na edição nº 01 de Lendas, Amanda Waller, uma mulher tão casca grossa que faria o Batman tremer na base, informa o Coronel Rick Flag que a Força Tarefa X foi reativada, que ele irá lidera-la em campo e que os primeiros candidatos a membros da equipe não são exatamente o que ele esperava.

“Os piores dos piores”, lembra?

Na edição nº 03 de Lendas, somos apresentados à primeira formação da equipe, composta pelo Coronel Flag, Tigre de Bronze, Pistoleiro (que foi preso pelo Flash na primeira edição e recrutado na segunda), Magia, Arrasa Quarteirão e Capitão Bumerangue.

O Bumerangue é um mistério, é figurinha carimbada no Esquadrão Suicida, e é uma bucha de canhão sem tamanho. Caramba, qual o poder do cara? Ele atira bumerangues! Nossa, uau, chamem a Liga da Justiça!

Acho que a Waller fica torcendo para o cara ir dessa para melhor nas missões, mas ele sempre volta.

Enfim, o primeiro alvo da equipe foi o Enxofre, que na edição 02 de Lendas tinha dado uma surra na Liga da Justiça.

Sem problema, porque o Pistoleiro ganhou um rifle laser experimental capaz de romper o campo magnético que mantém o corpo de plasma de Enxofre unido. Infelizmente, não sei se por contenção de gastos ou incompetência da equipe de desenvolvimento, o tal rifle só poderia atirar uma vez.

A estratégia escolhida foi bem simples, o Arrasa Quarteirão desvia a atenção do monstro, o Pistoleiro escolhe uma posição boa de tiro e atinge o alvo. A Magia fica tentando transformar o plasma do bicho em algo menos perigoso, mas sem sucesso porque há uma consciência nele. O Tigre de Bronze fica de olho nela, caso perca o controle, e o Bumerangue segue sendo um inútil.

No fim, o Arrasa Quarteirão vira churrasco nas mãos do Enxofre, o que justifica o nome do grupo. O pistoleiro consegue atingir o Enxofre, que finalmente cai, Magia transforma o corpo da criatura em raspadinha de limão, o Tigre de Bronze coloca ela para dormir com um golpe, evitando que ela perca o controle, e o Bumerangue segue sendo um inútil.

Terminada a missão, em Lendas nº 4, Amanda Waller tenta dar uma de João sem braço e não cumprir o prometido, mas o Coronel Rick Flag é ponta firme, honesto, e libera os prisioneiros.

E o que Bumerangue faz no instante em que coloca os pés na rua?

Exato, começa a tacar o terror.

E o que acontece com ele?

Acaba nas mãos de G. Gordon Godfrey, um dos arautos de Darkseid disfarçado, e de uma multidão que quer linchá-lo, obrigando o Esquadrão Suicida a se mover para evitar que ele revele a sua existência.

Pois é, no fim, eles conseguem resgatar o infeliz, ainda que Waller tenha dado autorização para eliminá-lo e o dedo do Pistoleiro tenha coçado no gatilho.

A premissa de uma equipe de vilões atuando secretamente pelo governo, em troca da redução ou eliminação de suas penas era bastante promissora, e, pelo menos nos quadrinhos, rendeu boas histórias.

Logicamente que os vilões que acabavam levando a pior nas tais missões suicidas eram geralmente do segundo escalão, ou, sei lá, quinto escalão, como o famigerado Amarra, cujo “poder” era manipular cordas superfortes.

Se o filme foi um desastre completo, a DC tem boas animações com a equipe, como “Esquadrão Suicida – Acerto de Contas” (2018) ou “Batman – Ataque ao Arkham” (2014), em que a equipe não aparece no título, mas é protagonista.

E por hoje é só, pessoal.

Se alguém quiser citar outros vilões inúteis que fizeram parte do Esquadrão Suicida, por favor, coloquem nos comentários.

você pode gostar também